INSTITUCIONAL

História da cidade

CARMO DO RIO VERDE

   O povoado de Carmo do Rio Verde teve início no ano de 1939, ocasião da criação da Colônia Agrícola Federal de Goiás – A CANG – Naquele local, seria construída a sede da colônia e, de fato o foi provisoriamente. Já residia na localidade a  família do Sr. Alexandre Pinto, que constituiu um dos primitivos habitantes e primeiro lutador pelo desenvolvimento da futura cidade, pois doaram uma gleba de terra para que fossem edificadas as primeiras casas, sendo umas de sua propriedade.

Esclarecendo-se que foram esses os primeiros a construírem casas comerciais, juntamente com o Srs.: Augustinho José Vieira e família, Crispim Batista, Alaor Barbosa, Crispim Rodrigues dos Reis, José Rodrigues dos Reis e Silvério Vasques. Muitos desses pioneiros ainda exercem a mesma profissão, ou foram sucedidos pelos seus familiares. Quando mais tarde foi fixada a sede da Colônia, onde hoje se encontra a cidade de Ceres, tal fato não veio interromper o progresso da jovem população, que já  contava com 10 (dez) casas, incluindo as comerciais e de produtos farmacêuticos.  Abastecendo-se gêneros alimentícios em Jaraguá , via Uruana, Em 12 (doze) de maio de 1940, foi erguido o cruzeiro que se vê plantado na porta da Igreja Matriz.

Em 1941, quando se dava início à construção de uma humilde capela, Chegava a Carmo do Rio Verde o conhecido Frei Simão acompanhado de Frei Alberto Bartalon que celebrou missa pela primeira vez, no então povoado. Eles continuaram visitando Carmo do Rio Verde três vezes ao ano: sendo que no tempo da Quaresma, em junho, por ocasião da Festa da Padroeira Nossa Senhora do Carmo e por último, em outubro, época da festa de Nossa Senhora do Rosário.

No ano de 1942, a família  Alexandre Pinto, desejosa do progresso do povoado, fez doação, por escritura pública, da área de terras onde está localizada a Igreja e de uma área em dimensões ainda maior, que mais tarde, a Paróquia mandou que fosse loteada.

Por volta do ano de 1945, dado às fertilíssimas terras, sua fama foi largamente divulgada pela imprensa, pelo rádio e jornais, iniciaram uma ingente afluência de pessoas, que para ali, se dirigiam e se instalavam indo na maior parte, efetuarem as atividades agrícolas. Em 1948, pela Lei Nº 20, de 04 de outubro desse ano, o pequeno povoado foi elevado à categoria de Vila, instalando-se em 19 de janeiro de 1949, em cujas solenidades o Sr. Prefeito Municipal da Cidade de Goiás, Hermógenes Ferreira Coelho se fez representar na pessoa do Sr. Aristeu Cunha, Neste mesmo ano, instalaram-se o Cartório de Registro civil e anexos e os Postos Fiscais Estadual e Municipal.

Nessa condição, proporcionou-lhe maior divulgação e conseqüência desenvolvimento. Em 1952, o então Distrito pleiteou a sua emancipação junto à Assembléia Legislativa Estadual, o que lhe foi concedido pela Lei Nº 706, de 14 de novembro de 1953, graças aos esforços do dinâmico e então Deputado Estadual Dr. Gérson de Castro Costa. Em 18 de janeiro do ano seguinte, foi instalada a nova Comuna, com termo judiciário da Comarca de Jaraguá, em meio a uma enorme massa inúmera, que ali compareceu para mais abrilhantar tão majestoso acontecimento. Para comandar seus destinos, no seu primeiro ano de vida municipal, por Portaria de 30 de dezembro de 1953, assinada pelo então governador do Estado, Sr. Pedro Ludovico Teixeira, foi nomeado interinamente, como Subprefeito o Sr. João Marinho de Souza, até que houvesse sua primeira eleição municipal. O que de fato ocorreu no dia 03 de outubro de 1954 quando, então foram eleitos seu primeiro Prefeito Constitucional, Sr. Raul Marques de Oliveira e os seguintes vereadores que compuseram sua primeira Câmara Municipal: Cesar Xavier dos Santos Azevedo, Dr. Djalma Tavares de Gouveia, Francisco Marques Guimarães , Joaquim Sudário Cardoso, José Rodrigues dos Reis, Pedro Antônio Dias e Wilson balestra, empossados pelo Exmo. Sr. Ariano  Correia de Morais, Juiz de Direito da Comarca de Anápolis. Clareando-se que, naquela época, ainda não existia o cargo de Vice-prefeito.

Em janeiro de 1957, o prefeito Raul Marques de Oliveira, licenciou-se, sendo substituído pelo Presidente da Câmara que era o Sr.Wilson Balestra, que concluiu o mandato, até janeiro de 1959, passando o cargo ao Sr. Joaquim Assunção de Azevedo que havia sido eleito em 03 de outubro de 1958, para um mandato-tampão de dois anos. Constituindo-se, então, esses nos primeiros baluartes que batalharam pelo crescimento de Carmo do Rio Verde, em todos os setores, evidenciando-se mais na educação e construção de estradas.

A Paróquia Nossa Senhora do Carmo, de Carmo do Rio Verde foi criada pelo Decreto nº 01, de 02 de abril de 1961, assinado pelo então Bispo de Goiás, Dom Abel Ribeiro Camelo e, oficialmente, foi instalada no dia 09 de julho de 1961 com uma memorável festa, cujo primeiro vigário foi o Pe. Justo Ordones Garois, conforme Registro no livro de Provisões nº 43, folhas 14 V X 15 da Diocese da cidade de Goiás.

No dia 04 de novembro de 1967, com uma inesquecível e majestosa festa cívica, instalou-se a Comarca de Carmo do Rio Verde, quando, então, era Prefeito Municipal, o Sr. Joaquim assunção de Azevedo, que havia sido eleito, pela segunda vez, em 15 de novembro de 1965, para gerir os destinos administrativos desta cidade.